AUSTRÁLIA É CAMPEÃ NOS PENALTIS. BRASIL ENCARA TOP 5 DO MUNDO DE IGUAL PRA IGUAL

Noticia Polo Acuático

http://www.cbda.org.br/cbda/poloaquatico/noticias/17176/australia-e-campea-nos-penaltis-brasil-encara-top-5-do-mundo-de-igual-pra-igual

AUSTRÁLIA É CAMPEÃ NOS PENALTIS. BRASIL ENCARA TOP 5 DO MUNDO DE IGUAL PRA IGUAL

Torneio Internacional de polo feminino 2015

Foto: CBDA/DivulgaçãoAustrália é campeã nos penaltis. Brasil encara top 5 do mundo de igual pra igual18/11/2015 17:08:31

Rio de Janeiro/RJ – O Torneio Internacional de Polo Aquático Feminino ‘Waterpolo in Rio” terminou nesta 4ª feira, 18/11, com uma decisão por penaltis.A Austrália venceu os EUA por 4 a 1 nas penalidades máximas, após empate por 9 a 9, totalizando 13 a 10, como se faz no polo (AUS 3-2 EUA, 1-1, 1-2, 4-4, 4-1). A medalha de bronze ficou com a Holanda, que passou pelo Canadá por 9 a 4. Já a China, comandada pelo brasileiro Ricardo Azevedo, garantiu a 5ª posição ao vencer o Brasil com dificuldades, por 10 a 8.

A melhor jogadora da competição (MVP) foi a australiana Asleigh Southern, touca nº 10. A artilheira foi a americana Makenzie Fischer, dos EUA, touca nº 11. Já a melhor goleira foi a australiana Kelsey Wakefield, touca nº 13.

– Foi sensacional. Disputar este torneio internacional com equipes tão fortes e na cidade que sediará os Jogos Olímpicos foi algo muito bom para o nosso treinamento. E ficar na primeira colocação numa final contra os Estados Unidos nos dá muita moral. Ficamos desapontadas por não conseguirmos pódio em Kazan e este resultado aqui no Rio é uma volta por cima – disse a goleira campeã Kelsey Wakefield.

goleira australiana Kelsey. foto: Satiro SodréA seleção brasileira teve seu melhor desempenho na competição na disputa do 5º lugar, quando encarou a China, 5ª colocada do Mundial de Kazan, de igual para igual. No final, vitória chinesa por apertados 10 a 8 (2-1,3-3,3-1,2-3), com a equipe brasileira empatando o 2º quarto e vencendo o último. Destaque para Gabi Mantellato e Mariana Duarte, com dois gols cada, além da goleira Tess Oliveira. A artilheira Izabella Chiappini, que machucada desfalcou o time, analisou a partida.

– Foi nosso melhor jogo, com destaque para a defesa que se acertou. Mas ainda temos que melhorar o ataque que se encontra um pouco confuso. Tivemos mudanças de posição de algumas atletas e o time ainda está se acertando. A Diana, por exemplo, está bem melhor como atacante do que como centro porque ela tem um bom chute de fora. Este ano tivemos um ritmo muito pesado com Pan, Mundial na Rússia, Liga Mundial, e no meu caso, ainda o Mundial Junior. Em Kazan comecei a sentir dores durante os treinos em movimentos básicos e por isso, se decidiu que era de parar para fazer um tratamento – disse Izabella, que teve um descolamento no ombro direito que a impediu de participar da competição. Por estar no começo da contusão, os médicos optaram por fazer fisioterapia do que cirurgia e se espera que até o final de dezembro, a atleta  já esteja na água treinando.

O Brasil começou muito bem num quarto inicial equilibradíssimo. Diana Abla abriu o marcador aos 3’07 pro fim, mas a China empatou de penalti aos 2’05, e virou nos 40 segundos finais. No segundo quarto, o Brasil empatou o jogo em 2 a 2 e 3 a 3, com a China só abrindo quando fez 5 a 3 na partida. Mas as brasileiras novamente encostaram no placar antes do fim do período.

China 10 x 8 Brasil. foto: Satiro SodréGols: Brasil – Diana Abla, Amanda Oliveira, Marina Zablith, Melani Dias, Gabrielle Mantellato (2) e Mariana Duarte (2). China = Zhao Zihan, Niu Guannan, Lu Yiwen (2), Zhang Weiwei (2), Yating Sun e Zhang Dan Yi (3).

A decisão foi um jogão, bem aguerrido, com as americanas, campeã mundiais e olímpicas, querendo se vingar da derrota para as australianas, 4ª colocada do Mundial de Kazan, que na fase inicial da competição carioca venceu por 13 a 6. Os EUA saíram na frente duas vezes (1 a 0 e 2 a 1), mas ainda no primeiro quarto sofreu a virada, com grande atuação da goleira australiana Kelsey Wakefield. E já no segundo quarto, as australianas abriram vantagem ao fazer 4 a 2. Mas a equipe americana encostou no marcador no fim do período: Austrália 4 a 3.

No terceiro período, as americanas chegaram ao empate em cinco gols, após a Austrália abrir 5 a 3. No quarto final, a seleção americana virou o marcador e passou a liderar o placar mas sempre com as australianas empatando a seguir: 6 a 6, 7 a 7 e 8 a 8. Aos 59 segundos pro fim, Rachel Fattal marcou 9 a 8 para os EUA. Mas aos 34 segundos, novo empate, com gol de Zoe Arancini: 9 a 9, levando a decisão pros penaltis.

Gols no tempo normal: Austrália – Glencora Mcghie, Keesja Gofers, Rowie Webster, Gemma Beadsworth (2) e Asleigh Southern (3). EUA – Killey Neushul (2), Kodianne Hill, Rachel Fattal (2), Melissa Seidemann, Caroline Clark e Mackenzie Fischerg (2).

Nos penaltis marcaram para a Austrália, pela ordem: Rowie Webster, Asleigh Southern, Keesja Gofers e Gemma Beadsworth. O gol dos EUA foi de Mackenzie Fischer, a segunda a bater. Perderam seus penaltis, Kaleight Gilchrist e Kiley Neushul.

EUA x Austrália. foto: Satiro SodréA Holanda dominou inteiramente a disputa do bronze, abrindo no marcador desde o primeiro período. A vice-campeã mundial venceu a vice-campeã pan-americana por 9 a 4, só relaxando no quarto final, quando o pódio já estava garantido (4-0, 2-1, 2-0, 1-3). Destaque para Vivian Sevenith, artilheira da partida com três gols.

Gols: Holanda – Vivian Sevenich (3), Lieke Klaassen, Dagmar Genee (2), Miloushka Yasmin Smit e Marloes Nijhuis e Catharina Sabrina van der Sloot. Canadá – Monika Eggens, Emma Wright (2 e Katrina Monton.

Holanda 9 x 4 Canadá. foto: Satiro SodréClassificação final: 1 – Austrália /  2 – EUA  /  3 – Holanda / 4 – Canadá / 5 – China / 6 – Brasil
Resultados

1ª rodada – sexta, 15/11
Canadá 6 x 6 Austrália / EUA 13 x 6 Holanda / Brasil 5 x 13 China

2ª rodada – sábado, 14/11
Austrália 13 x 6 EUA / Canadá 7 x 6 China / Brasil 10 x 16 Holanda

3ª rodada – domingo, 15/11

EUA 11 x 5 China / Austrália 9 x 2 Holanda / Brasil 2 x 9 Canadá

4ª rodada – 2ª feira, 16/11
Canadá 5 x 9 Holanda / Austrália 10 x 8 China / Brasil 4 x 18 EUA5ª rodada – 3ª feira, 17/11
China 7 x 15 Holanda / EUA 13 x 4 Canadá  / Brasil 4 x 14 Austrália

Rodada Final – 4ª feira, 18/11
Disputa de 5º lugar: Brasil 8 x 10 China / Disputa do bronze: Holanda 9 x 4 Canadá  / Final: Austrália 13 x 10 (9 x 9 no tempo normal e 4 x 1 nos penaltis)

O polo aquático brasileiro conta com recursos dos Correios – Patrocinador Oficial dos Desportos Aquáticos Brasileiros, e ainda do Bradesco/Lei de Incentivo Fiscal, Lei Agnelo/Piva – Governo Federal – Ministério do Esporte, COB, Sadia, Speedo e Universidade Estácio de Sá.